Belo Horizonte

De Pergaminhos Wiki
Ir para: navegação, pesquisa

Belo Horizonte é a capital do Estado de Minas Gerais. O cenário foi desenvolvido por Antônio Augusto Shaftiel , usuário[1] do Fórum Daemon e autor de vários livros sobre o Mundo de Trevas. O texto foi publicado no fórum Daemon[2].

História Real e Sobrenatural

A fundação do que futuramente viria a ser Belo Horizonte não foi um plano arquitetado por criaturas sobrenaturais ou mesmo por políticos humanos. No início, o não passava de mais uma vila do sudeste. Algumas pessoas se dirigiam para a pequena cidade a procura de emprego ou uma nova vida, uma oportunidade naquele lugar afastado e de clima ameno. Contavam, também, com a ausência de seres sobrenaturais que parecia ocorrer na região.

Os humanos foram se acumulando na região até que por volta do século XVIII fundou-se na Fazenda do Cercado o Arraial do Curral-del-Rey, nome associado a um curral onde se confinava o gado para a paga de impostos. Após a proclamação da República em 1889, o nome do arraial passou a ser considerado "incômodo" por lembrar a monarquia. Por sugestão do professor Luiz Daniel Cornélio Cerqueira, o governador do Estado de Minas Gerais renomeou o curral para Belo Horizonte. Nessa mesma época, a futura capital de Minas Gerais chamou a atenção dos Iluminados. O primeiro a aparecer foi Luís Afonso Otoni, filho de um importante político de Ouro Preto que estudara na Europa. Voltando ao Brasil, o Iluminado interessou-se pela estranha Belo Horizonte, um local onde havia tão baixa proliferação do sobrenatural. Ele foi o primeiro a pesquisar e a encontrar a possível causa para o fenômeno, a presença das grandes minas de minério de ferro. Luís Afonso informou aos Iluminados do Rio de Janeiro e de São Paulo, pedindo recursos para continuar a pesquisa. Os primeiros investigadores foram massacrados quando tentara se aproximar e Luís entendeu o motivo de aquele lugar exótico não ser visado por anjos e demônios. Os seres sobrenaturais brasileiros não entravam na região, porém ficavam e volta dela o tempo todo, vigiando para que ninguém tentasse dominar o ponto estratégico. Luís não se sentiu derrotado, mas interessou-se ainda mais por Belo Horizonte. Continuou procurando apoio e aproveitou-se da situação política do país.

A nova capital

Na última década do século XIX, a instabilidade política em Minas Gerais exigia a mudança da capital. Por um golpe do destino, os políticos resolvera transformar Belo Horizonte na capital e Luís Afonso não precisou apelar mais uma vez aos colegas Iluminados. Embora já fosse um ovoado com uma história própria, Belo Horizonte era muito pobre em relação às cidades que surgiram com a procura do ouro. Mas ao passo que as cidades auríferas paravam no tempo com o declínio da atividade mineradora, Belo Horizonte emergia timidamente e com o apoio dos Iluminados. As antigas capitais de Minas, Mariana e Ouro Preto, foram escolhidas pelo interesse da Coroa portuguesa, atenta ao ouro que provinha das Gerais. Com a decadência da mineração, pareceram outras cidades e atividades econômicas substitutas. Na época da escolha de Belo Horizonte para capital, Minas era o estado mais populoso do país. O governador Afonso Pena nomeou o engenheiro paraense Arão Reis para chefiar a comissão de escolha e a comissão de construção da nova cidade. Luís Afonso tentou continuar seu trabalho para garantir a construção da cidade nos pontos da chamada Barreira, mas desapareceu misteriosamente na casa que mandara construir na nova capital. Poucos meses depois, já havia outras sociedades secretas influenciando a política e a arquitetura. A Ordem da Rosa e da Cruz foi a primeira a aparecer, liderada pela jovem Maria Helena, conhecida como uma maga prodígio no Brasil naquela época. A Ordem de Aviz, a principal suspeita na morte de Luís Afonso, surgiu com um interesse peculiar. Os guerreiros montaram uma casamata e começaram a eliminar as criaturas sobrenaturais que encontravam sem o mínimo medo. A família MonteCruz assumiu o comando dos caçadores mineiros e tornou-se influente tanto na política quanto nas conspirações místicas. Maria Helena foi a primeira a se manifestar contra o autoritarismo dos cavaleiros de Aviz. A eficiência da ordem a assustava e já havia acuado os Iluminados. Logo a Ordem da Rosa e da Cruz começou a lutar contra os caçadores e foi apoiadasecretament epelo terceiro grupo. Em poucos anos, já havia uma guerra entre as três seitas. Foi um tempo conturbado que afetou o planejamento da cidade. Belo Horizonte começou a crescer rápida e desordenadamente, cada facção tentando ganhar posições estratégicas enquanto tentavam enfraquecer as áreas de influência dos grupos rivais. Vários projetos foram feitos, mas poucos foram concluídos como se deveria.

Novas Ameaças

A batalha gerou espaço para um terceiro grupo de seres sobrenaturais que mantivera-se afastado por causa do poder da Ordem de Aviz. Nathanael Van Hooves, Strigoi milenar, mantivera-se atento aos movimentos de Belo Horizonte e chamou por uma de suas Crias, Marcus Alexandre, para começar a influenciar a política local. O ex-caçador aproveitou-se de seu conhecimento para manipular os três grupos e abrir espaço para seu poder. Outros grupos tentaram se aproveitar da porta aberta por Marcus e ele não se importou, pois queria apenas mais caos para ajudar se instalar. A Irmandade de Tenebras apareceu para dominar a capital. Os magos negros iniciaram uma campanha agressiva para destruir a força dos Iluminados e dos cavaleiros de Aviz. Com a invocação de inúmeros demônios e o uso de assassinos, os servos de Tenebras tentaram assassinar os principais líderes da cidade. O plano acabou falhando. Por um motivo misterioso, foram delatados e caíram em uma armadilha que acabou na eliminação dos mais poderoso magos das trevas que haviam em Minas Gerais. A luta extenuou os recursos das três principais sociedades secretas locais e confirmou o poder de Marcus Alexandre. O Selo do Arkanun Arcanorum foi criado para manter a aparência de que todas as ordens eram bem-vindas.

Paz no Horizonte

Cidade de Prata começou a manifestar um interesse maior na capital mineira quando percebeu os planos da Irmandade de Tenebras. Alguns inquisidores e outras ordens religiosas já estavam instaladas, mas um Principado fraco fora designado para Belo Horizonte. O pobre anjo quase ficara sem ação na luta contra os demônios, motivo pelo qual Ofeon, Principado de Mariana e guerreiro famoso pelas vitórias nas batalhas sobrenaturais no interior de Minas geras, foi designado o novo líder dos anjos locais. Ele foi o responsável pela caça dos últimos magos infernalistas e dos demônios por eles invocados. Um período de paz começou a se estabelecer, pois a ordens precisavam de tempo para repor os recursos perdidos na guerra contra os magos de Tenebras. Os seres inimigos das três ordens, chamadas de O Triunvirato Secreto, foram se abrigar em Contagem, cidade próxima. Os demônios começavam a ser liderados por Crergiom e os vampiros Asimani fugiram da ira da Fraternidade S[3]...

Notas